A primeira confraria de vinhos do Brasil
fundada em 1980


O VINHO DO MÊS: DOMINIO DE TARES CEPAS VIEJAS 2007

dominio_tares

Bierzo é uma das DOs espanholas localizada no extremo noroeste da macrorregião de Castilla Y Leon na divisa com a Galícia à qual parece fazer parte tal a proximidade. A região se situa numa área montanhosa entre a Cordilheira Cantábrica e os Montes Leon, alcançando as serras de Caurel e Ancares, as montanhas Agrilanos da Serra Fistedo. Recebe a irrigação dos famosos rios Sil, Ancares e Burdia, envolvida por um clima temperado cuja temperatura média anual máxima alcança 24ºC e a mínima 4ºC. Nesse contexto o solo está identificado como rochoso marcado por áreas de ardósia, xisto, greda, argila e calcário.
Uma série de pequenas cidades compõe o quadro regional sobressaindo Ponferrada como capital e centro populacional mais expressivo. A atividade vitivinícola conheceu no local expressão palpável na época medieval quando trabalhada pelos monges beneditinos e cistercienses que aí se estabeleceram no século XI. A região faz parte do famoso Caminho de Santiago de Compostela recebendo certa influência pela frequente passagem de peregrinos. O centro mais visível desse trabalho é encontrado nas imediações da histórica cidade de Villafranca del Bierzo bem próxima de Valdeorras pertencente à Galícia. Mais a leste se localiza Cacabelos que faz par em importância com a anterior. Nesse período da história da região o vinho ali produzido alcançou merecida fama pela qualidade tendo posteriormente observado um hiato de ostracismo caindo em esquecimento por longo tempo. Somente muito depois voltou a conquistar a glória que culminou com seu reconhecimento como região produtora no século XX em 1985 atingindo o status de DO em 1989, representada por numerosos produtores e o acréscimo de consistente arsenal de modernos equipamentos representativos de apurada tecnologia. Um dos expoentes na atividade é Álvaro Palacios sendo um dos responsáveis pelo renascimento da região.
A atividade na região conta com a participação de variado leque de cepas, incluindo algumas tipicamente espanholas como Garnacha e Tempranillo ao lado de outras principalmente francesas. Mas destaques são reservados para uvas locais como a tinta Mencia e a branca Doña Blanca. A primeira tem sido responsável por vinhos de grande qualidade marcados por alta tipicidade, e sua análise até pouco tempo a mencionava como sendo uma mutação da Cabernet Franc, porém estudos recentes relacionados com seu DNA revelam ser um exemplar muito mais próximo da cultivar Jaen trabalhada em Portugal.
DOMINIO DE TARES
Empresa artesanal com produção bem limitada com sede em Bierzo, mais precisamente na localidade de Bembribe que trata o vinhedo com idade de 40 a 100 anos e carga de 4.000 kg por hectare em solos argilosos e calcários através do sistema em vaso ou “alberello”. Trabalha quase que

exclusivamente com cepas autóctones em ambiente de moderada umidade e temperaturas suaves. Consegue assim produzir excelentes vinhos notadamente com as cepas Mencia e Godello. A vinificação é feita parcela por parcela de vinhedo a fim de manter a perfeita identidade do produto com seu respectivo “terroir”. Uma característica interessante é a guarda para amadurecimento e envelhecimento em adegas subterrâneas em condições naturais de umidade e temperatura. O processo de passagem por madeira é feito em carvalho francês e americano geralmente por períodos que variam de 4 a 18 meses. Outros vinhos compõem o portfólio da empresa como Godello F.B., Baltos, Bembibre e Tares P3.
DOMINIO DE TARES CEPAS VIEJAS 2007
Esse vinho produzido a partir de Mencia observa fermentação alcoólica de 12 dias a 30ºC, sofrendo posteriormente fermentação maloláctica em barricas francesas novas e de segundo uso de média tosta, procedentes das florestas de Alliers e Nevers, na proporção de 50%. Esse repouso dura cerca de 9 meses. Teor alcoólico de 13,5% com acidez de 4,8 g/litro e pH 3,6. Não passa por processo de filtração.
ANÁLISE VISUAL – Escuro profundo, brilhante com lágrimas lentas e abundantes.
ANÁLISE OLFATIVA – Frutado intenso com toques florais além de persistente presença de couro desde o início. Leve caráter herbáceo associado a húmus com mineral e algo balsâmico com agradável alcaçuz. A madeira confere leve tostado.
ANÁLISE GUSTATIVA – Encorpado e suculento com untuosidade balsâmica e taninos resolvidos bem equilibrados com a acidez e o álcool compondo um agradável cenário gustativo. O final é longo e cativante pela presença de alcaçuz e sensação de dulçor lembrando chocolate.

AVALIAÇÃO: 92/100
PREÇO: R$ 159,00 – IMPORTADORA TAHAA – 5096-3282

Saúde!
Daniel Pinto – danipin@uol.com.br

 

PopUpNewsletterSBAVSP

Cadastre o seu e-mail para receber as notícias da SBAV-SP.

Por favor, assinale: