A primeira confraria de vinhos do Brasil
fundada em 1980


O VINHO DO MÊS: ST. HUGO CABERNET SAUVIGNON 2010

SOUTH AUSTRALIA

Localizada ao sul da Austrália, e, a oeste de Victória, a região de South Austrália, configura-se como a mais importante produtora tanto pela concentração dos melhores e mais famosos produtores, quanto pela elaboração dos melhores vinhos do país. Tudo isso é feito nos seus atuais 60.000ha de vinhedos plantados, participando em 52% de toda produção australiana. Possui 13 sub-regiões de norte a sul, como segue: Clare Valley, Barossa Valley, Eden Valley, Adelaide, McLaren Valley, Langhorne Creek, Mount Benson, Padthaway, Wrattonbully, Coonawarra, Riverland, Mount Bambier.

 

BAROSSA VALLEY

Coração da indústria do vinho australiano de qualidade. Aí se concentram os mais importantes produtores australianos, que processam cerca de 60% de todo o vinho da região. As videiras mais antigas ainda produzindo estão em Barossa Valley. Boa parte das regiões de South Austrália constituiu exceção ao serem poupadas pela praga da “phylloxera”. O maior número de vinhos “Premium” é produzido nessa região, com 7.600ha plantados, 44 grandes vinícolas e 540 pequenos produtores. A produção principal é dedicada aos tintos, principalmente com Shiraz, Cabernet Sauvignon, Merlot, e, mais recentemente com a tintureira Mourvèdre e Grenache.

 

ADELAIDE

Região quente e muito seca, onde a viticultura necessita de irrigação para se tornar eficiente. Nessas condições consegue desenvolver frutos ricos de açúcar para estruturar vinhos tintos e brancos com Cabernet, Shiraz, Chardonnay, etc. Possui dois grandes produtores, que também utilizam uvas de outras regiões para suprir a produção.

LIMESTONE COAST ZONE

Faixa de terra que se estende desde Adelaide até o extremo sul incluindo Coonawarra, caracterizada por possuir solo de pedra calcária sob uma camada de “terra vermelha”, provavelmente se assemelhando à nossa terra conhecida como “sangue de tatu” do interior de São Paulo. Trata-se de areia de média fertilidade com traços de ferro que conferem o aspecto cromático. Apresenta ótima drenagem sendo bem indicada para pastagens e também para viticultura. Essa zona costeira onde se encontram essas regiões, por conta do tipo de solo é conhecida como LIMESTONE COAST ZONE

 

COONAWARRA

Também pertencente à Limestone Coast Zone, muito comentada entre os produtores e apreciadores do vinho já que vem se destacando com singular desempenho na produção de vinho, sobretudo com Cabernet Sauvignon sendo mesmo considerada como o berço do melhor exemplar do país. Apresenta três áreas com solos diferentes: a primeira localizada mais ao norte, exibe a famosa “terra vermelha”, onde se estabelecem as melhores vinícolas.

A segunda a oeste, representada por solo bem argiloso, sobre camada pedregosa calcária e, a terceira a leste, com solo arenoso grosso sobre base argilosa.

 

JACOB’S CREEK

Essa portentosa vinícola australiana teve seu nascimento no longínquo ano de 1840 em uma pequena área de uma região que viria a se tornar numa das mais importantes do país localizada no coração de South Australia. Referimo-nos a Barossa Valley onde Johann Gramp, procedente da Bavária, plantou a primeira videira numa área de 30 hectares que logo se multiplicou fazendo nascer sete anos depois a primeira vinícola comercial colhendo o fruto do primeiro vinho em 1850. Daí em diante a história foi somente de crescimento com a construção de grandes adegas com a participação do filho Gustavo desenvolvendo-se exponencialmente nos anos que se seguiram até alcançar o século XX com o nascimento da marca Gramp & Sons enriquecida com formidável tecnologia. A empresa se expandiu e passou a explorar outras regiões de South Austrália como Adelaide, Padthaway e Conawarra, no extremo sul. Nessa história fazem parte grandes vinhos oriundos de Shiraz, Cabernet Sauvignon, Riesling do legendário Steengarten, espumantes de Chardonnay e Pinot Noir, enfim um elenco de grandes vinhos para o deleite dos mais exigentes enófilos. No ano de 2002 é apresentado um moderno centro de visitas, e, em 2010 entra em cena o conhecido enólogo Bernardo Hickin que introduziu uma nova filosofia cujo tema principal é traduzir no vinho a verdadeira natureza do “terroir”.

ST. HUGO CABERNET SAUVIGNON 2010

Vinho produzido 100% a partir de Cabernet Sauvignon que experimenta estágio em barrica de carvalho francês por 24 meses. Teor alcoólico de 13,5%.

ANÁLISE VISUAL: Vermelho rubi profundo com reflexos violáceos evidentes.

ANÁLISE OLFATIVA: Traz em seu aroma as mais eloquentes características da Cabernet Sauvignon australiano como forte componente frutado que transita entre xarope de groselha, ameixa e cereja na forma de compota, adornado por delicado floral. Traços herbáceos e de especiaria além de presença de envolvente tostado.

ANÁLISE GUSTATIVA: Faz sentir envolvente sabor através de poderosa estrutura não agressiva com presença de taninos marcantes não agressivos acompanhados de acidez vibrante. Nota-se delicada cremosidade balsâmica evoluindo para um final longo com rastros de alcaçuz.

 

AVALIAÇÃO: 92/100

PREÇO: R$ 159,00 – IMPORTADOR: CASA FLORA – 3327-5199

 

Saúde!

Daniel Pinto – danipin@uol.com.br

PopUpNewsletterSBAVSP

Cadastre o seu e-mail para receber as notícias da SBAV-SP.

Por favor, assinale: